Preços da arroba do boi gordo despencam no Brasil em maio

O mercado físico de boi gordo registrou intensas quedas de preço no decorrer do mês de maio.

Por Expressão Naviraí em 01/06/2024 às 19:56:23

O mercado físico de boi gordo registrou intensas quedas de preço no decorrer do mês de maio.

Segundo o analista de Safras & Mercado, Fernando Iglesias, a expectativa é de continuidade desse movimento, uma vez que a oferta está se avolumando e mantendo as escalas de abates dos frigoríficos bastante confortáveis.

Inversão do Ciclo Pecuário

Iglesias reforça a ideia de que pecuaristas precisam se atentar para a inversão do ciclo pecuário, prevista para o final deste ano.

“Em determinado momento, o ritmo de nascimentos não acompanhará a demanda por animais de reposição, aumentando a propensão a reajustes, começando pelas categorias mais jovens, consequência do relevante descarte de fêmeas”, avalia.

Preços da Arroba do Boi Gordo

Os preços da arroba do boi gordo na modalidade a prazo nas principais praças de comercialização do país estavam assim no dia 29 de maio:

  • São Paulo (Capital): R$ 220 a arroba, queda de 5,58% frente aos R$ 233 a arroba praticados no final de abril.
  • Goiás (Goiânia): R$ 197 a arroba, recuo de 8,37% frente aos R$ 215 do fechamento do mês anterior.
  • Minas Gerais (Uberaba): R$ 215 a arroba, baixa de 6,52% frente aos R$ 230 do encerramento de abril.
  • Mato Grosso do Sul (Dourados): R$ 215 a arroba, baixa de 1,38% frente ao fechamento de abril, de R$ 218.
  • Mato Grosso (Cuiabá): R$ 215 a arroba, retração de 4,44% frente ao fechamento do mês passado, de R$ 225.
  • Rondônia (Vilhena): R$ 185 a arroba, baixa de 3,65% frente aos R$ 192 registrados no encerramento de abril.

Mercado atacadista

O mercado atacadista apresentou fracos ao longo de maio.

O quarto traseiro do boi caiu 1,73%, passando de R$ 17,30 por quilo para R$ 17,00 por quilo. O quarto dianteiro do boi teve retração de 10,07%, passando de R$ 13,90 para R$ 12,50.

Exportações de carne bovina

As exportações de carne bovina fresca, congelada ou refrigerada do Brasil renderam US$ 807,935 milhões em maio (17 dias úteis), com média diária de US$ 47,525 milhões.

A quantidade total exportada pelo país chegou a 178,869 mil toneladas, com média diária de 10,521 mil toneladas. O preço médio da tonelada ficou em US$ 4.516,90.

Em relação a maio de 2023, houve alta de 21,8% no valor médio diário da exportação, ganho de 37,4% na quantidade média diária exportada e desvalorização de 11,4% no preço médio. Os dados foram divulgados pela Secretaria de Comércio Exterior.

Fonte: Canal RURAL

Comunicar erro

Comentários